Conheça Inês Relvas, Antiga Aluna da Nova SBE - Entrevista Exclusiva
Nova Promove | 17 setembro 2020 Conheça Inês Relvas, Antiga Aluna da Nova SBE - Entrevista Exclusiva

Que está a fazer atualmente? E qual a característica mais gratificante da sua carreira?

Atualmente sou Head of Strategy dos Serviços Financeiros da SONAE. Ingressei em abril deste ano, após oito anos no BCG – Boston Consulting Group, no qual trabalhei em consultoria estratégica. A característica mais gratificante da minha carreira é o constante e elevado envolvimento na tomada de decisões estratégicas. Tive a oportunidade de me especializar em serviços financeiros e é muito inspirador, para mim, fazer parte de decisões que são capazes de transformar o futuro de uma empresa.
 

Que gostaria de saber na altura em que estava a graduar que só agora é que sabe?

Gostaria de saber que não é assim tão importante decidir como começar a minha carreira. Na altura, estava tão preocupada com a decisão que tinha tomado que cheguei ao ponto de achar que era uma decisão sem retorno. Acho que os alunos pensam demais sobre para onde querem ir ou por onde começar. Adoraria ter sabido que é possível voltar atrás na nossa decisão quantas vezes quisermos na vida. A mensagem que deixo aos atuais alunos é “não se levem excessivamente a sério”.
 

Quem ou que experiências tiveram um impacto no seu percurso profissional?

Consegui estagiar no BCG antes de começar a trabalhar na empresa a tempo inteiro. Este estágio acabou por ser muito importante para mim porque me fez perceber em que direção queria ir. A consultoria é uma parte importante de qualquer carreira e eu queria perceber se essa área fazia sentido para mim. Esse estágio de um mês foi fundamental para perceber que estava a ir na direção certa. Ter tido essa experiência e aprender com especialistas da indústria ajudou-me a compreender se queria ou não isso para mim e esta maneira de pensar tem-me guiado ao longo da minha carreira.
 

Porquê esta área? Que lição trouxe consigo e a têm ajudado neste percurso?

Foi uma espécie de coincidência eu estar onde estou estou agora. O que me chamou mais a atenção foram todas as mudanças pelas quais esta área estava a passar. A minha curiosidade em querer perceber as coisas foi fundamental. Ainda tenho muito a aprender e é preciso sentires-te confortável com isso. Gosto de sentir que ainda sou aluna e tenho muito para aprender. Acho que a vontade de aprender e a humildade de reconhecer que não sabemos tudo é algo que não só trago dos meus anos na universidade, mas que ainda detenho.
 

Que competências adquiriu no seu percurso académico e quais são as que têm sido fundamentais para a sua carreira?

Eu diria que uma das competências mais importantes é a resolução de problemas. Na universidade, tivemos várias cadeiras que nos desafiaram a ir além do óbvio, a questionar o problema por detrás do problema. O trabalho em equipa foi igualmente importante. Na altura, reclamava da quantidade de trabalhos e apresentações de grupo. Mas, na verdade, o meu emprego sempre consistiu em trabalhar com outras pessoas e o tipo de preparação que tive na universidade foi muito importante para que me sentisse à vontade no meu contexto. Tivemos muita sorte em sermos pressionados a trabalhar em equipas diferentes, ter tido apresentações e debates, porque isso preparou-nos verdadeiramente para o trabalho.
 

Como conseguiu o seu primeiro emprego depois de se graduar? Que passos deu e que conselhos daria aos que estão agora a começar?

Acho que a oportunidade começou antes de me graduar, quando estagiei no BCG, quando estava a tirar a licenciatura. Foi um processo bastante simples, pois tive a oportunidade de participar num evento organizado pela empresa no ano anterior, no seu escritório, no qual tive a oportunidade de conhecer alguns profissionais e receber os seus conselhos. Foi muito importante para mim ter essa primeira experiência antes de ter um emprego a tempo inteiro.


Que memórias do seu tempo enquanto aluna da Nova SBE mais estima?

Ainda tenho muitos amigos da altura que era aluna Nova SBE. Desde momentos descontraídos no corredor a discutir como estudar para determinado exame ou decidir a que eventos organizados pela escola iríamos – são os momentos que tínhamos entre cada aula que mais estimo. Também me lembro de algumas aulas específicas. A melhor lembrança será sempre o ambiente que a escola proporcionava e que me permitiu crescer.
 

Que conselho tens para dar aos alunos que agora se estão a graduar?

As pessoas não deveriam levar as suas decisões demasiado a sério e preocupar-se excessivamente. As decisões que agora estão a tomar, no final, não serão as que definirão o que ainda há por viver. Pensem no que vos faz feliz e não no que é esperado de vós. Pensem no que vos inspira. E não se esqueçam de dar prioridade à vossa própria felicidade!

What's happening