Docentes e Investigação

Investigação

Prémios e distinções

Prémios, distinções e louvores são a garantia da qualidade e impacto da nossa investigação.

Cátedras da Nova SBE

Cátedra de Finanças do Banco BPI
Cátedra de Liderança da Fundação Amélia de Mello
Cátedra Millennium bcp
Cátedra de Empreendedorismo e Tecnologia do NOVO BANCO

Reconhecimento especial

Temos orgulho em trabalhar com alguns dos investigadores mais reconhecidos nacional e internacionalmente.

Pedro Pita Barros viu o seu trabalho reconhecido através da criação do Prémio Pedro Pita Barros. Esta distinção é promovida pela Associação Portuguesa de Economia da Saúde e patrocinada pela Associação Nacional de Farmácias. O seu objetivo é promover a investigação no campo da economia a saúde junto de jovens investigadores que publiquem artigos em revistas científicas. O prémio de 3500€ será entregue a cada dois anos ao melhor artigo científico na área de economia da saúde.

Sónia Félix, doutorada em economia e finanças, venceu o Prémio Simão Lopes 2018, promovido pela Ordem dos Economistas em parceria com o Diário Económico e a PwC, com a dissertação Essays on Labor, Product, and Credit Market Imperfections, orientada por Pedro Portugal. Este prémio distingue as melhores teses de doutoramento em economia e ciências económicas.

Luís Filipe Lages recebeu o prémio American Marketing Association Research in Excellence 2018 pelo seu artigo The role of past performance in export ventures: A short-term reactive approach, publicado no Journal of International Business Studies (2008).

Antonieta Cunha-e-Sá e Sofia Franco são as autoras do artigo The Effects of Development Constraints on Forest Management at the Urban-Forest Interface, galardoado com o prémio de melhor publicação pela AERNA, Associação Luso-Espanhola dos Recursos Económicos Naturais e Ambientais, em 2017.

Judite Gonçalves e Pedro Pita Barros são autores do artigo Inequalities in healthy and active aging across European countries, pelo qual receberam o prémio Highly Commended Paper no Segundo Seminário Internacional sobre o Índice de Envelhecimento Ativo (que se realizou nos dias 27 e 28 de setembro de 2018), oferecido pela Comissão Europeia, pela Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa e pelo Oxford Institute of Population Aging, em Bilbao.

Miguel Pina e Cunha recebeu o prémio de Melhor Artigo, pela editora Emerald, na 16.ª Conferência da International Society for the Study of Work & Organizational Values (ISSWOV), entre 1 e 4 de julho de 2018. O prémio distingue o artigo do qual é coautor (juntamente com Arménio Rego, Camilo Valverde, Rui Lourenço-Gil, Andreia Vitória, Ana Ventura, e Susana Leal) intitulado Do gritty leaders foster employee capital? It depends on how humble they are.

O artigo de Melissa Prado e Rafael Zambrana Competition and Cooperation in Mutual Fund Families (juntamente com Richard B. Evans) ganhou o Prémio de Melhor Artigo Empírico pela SFA (Southern Finance Association).

 

Fahiz Baba Yara (aluno de doutoramento em economia e finanças) recebeu o prémio Invesco Quantitative Strategies de melhor artigo, durante a conferência Frontiers of Factor Investing Conference, em 2018.

Pedro Neves, em colaboração com Raffaela Gozzelino (Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa) e Ana Margarida Grenho Ferreira (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa) foram os vencedores da 11.ª edição do Prémio de Investigação Colaborativa Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa (2018) pelo projeto: Stress-induced neuroinflammation: mechanisms and implications for decision-making and performance.

Maria Eugénia Mata foi selecionada como uma das três mulheres economistas, de entre 137 mulheres cientistas portuguesas, de todas as áreas científicas e em diferentes fases da sua carreira, a serem representadas na iniciativa “Mulheres na Ciência”. As 137 histórias de carreiras bem-sucedidas em ciência foram contadas através de fotografias das investigadoras e citações biográficas na exposição e respetivo livro. Estes testemunhos na primeira pessoa demonstram como as mulheres contribuíram com o desenvolvimento das ciências em Portugal e procuram inspirar as gerações futuras de jovens mulheres a prosseguir a sua vocação. Este tributo às mulheres cientistas portuguesas, que constituem 45 % da comunidade de investigadores em Portugal, foi organizado pela Ciência Viva, agência portuguesa para a promoção do conhecimento público em ciência e tecnologia.