Docentes e Investigação

Investigação

Prémios e distinções

Prémios, distinções e louvores são a garantia da qualidade e impacto da nossa investigação.

Cátedras da Nova SBE

Novo Banco Chair Professor in Entrepreneurship & Technology
 
BPI | Fundação “la Caixa” Chair Professor in Responsible Finance
Fundação Amélia de Melo Chair Professor in Leadership
 
Fundação Calouste Gulbenkian Chair Professor in Impact Economy
 
Fundação “la Caixa” Chair Professor in Health Economics

Reconhecimento especial

Temos orgulho em trabalhar com alguns dos investigadores mais reconhecidos nacional e internacionalmente.

Pedro Pita Barros viu o seu trabalho reconhecido através da criação do Prémio Pedro Pita Barros. Esta distinção é promovida pela Associação Portuguesa de Economia da Saúde e patrocinada pela Associação Nacional de Farmácias. O seu objetivo é promover a investigação no campo da economia a saúde junto de jovens investigadores que publiquem artigos em revistas científicas. O prémio de 3500€ será entregue a cada dois anos ao melhor artigo científico na área de economia da saúde.

Sónia Félix, doutorada em economia e finanças, venceu o Prémio Simão Lopes 2018, promovido pela Ordem dos Economistas em parceria com o Diário Económico e a PwC, com a dissertação Essays on Labor, Product, and Credit Market Imperfections, orientada por Pedro Portugal. Este prémio distingue as melhores teses de doutoramento em economia e ciências económicas.

Luís Filipe Lages recebeu o prémio American Marketing Association Research in Excellence 2018 pelo seu artigo The role of past performance in export ventures: A short-term reactive approach, publicado no Journal of International Business Studies (2008).

Antonieta Cunha-e-Sá e Sofia Franco são as autoras do artigo The Effects of Development Constraints on Forest Management at the Urban-Forest Interface, galardoado com o prémio de melhor publicação pela AERNA, Associação Luso-Espanhola dos Recursos Económicos Naturais e Ambientais, em 2017.

Judite Gonçalves e Pedro Pita Barros são autores do artigo Inequalities in healthy and active aging across European countries, pelo qual receberam o prémio Highly Commended Paper no Segundo Seminário Internacional sobre o Índice de Envelhecimento Ativo (que se realizou nos dias 27 e 28 de setembro de 2018), oferecido pela Comissão Europeia, pela Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa e pelo Oxford Institute of Population Aging, em Bilbao.

Miguel Pina e Cunha recebeu o prémio de Melhor Artigo, pela editora Emerald, na 16.ª Conferência da International Society for the Study of Work & Organizational Values (ISSWOV), entre 1 e 4 de julho de 2018. O prémio distingue o artigo do qual é coautor (juntamente com Arménio Rego, Camilo Valverde, Rui Lourenço-Gil, Andreia Vitória, Ana Ventura, e Susana Leal) intitulado Do gritty leaders foster employee capital? It depends on how humble they are.

O artigo de Melissa Prado e Rafael Zambrana Competition and Cooperation in Mutual Fund Families (juntamente com Richard B. Evans) ganhou o Prémio de Melhor Artigo Empírico pela SFA (Southern Finance Association).

 

Fahiz Baba Yara (aluno de doutoramento em economia e finanças) recebeu o prémio Invesco Quantitative Strategies de melhor artigo, durante a conferência Frontiers of Factor Investing Conference, em 2018.

Pedro Neves, em colaboração com Raffaela Gozzelino (Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa) e Ana Margarida Grenho Ferreira (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa) foram os vencedores da 11.ª edição do Prémio de Investigação Colaborativa Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa (2018) pelo projeto: Stress-induced neuroinflammation: mechanisms and implications for decision-making and performance.

Maria Eugénia Mata foi selecionada como uma das três mulheres economistas, de entre 137 mulheres cientistas portuguesas, de todas as áreas científicas e em diferentes fases da sua carreira, a serem representadas na iniciativa “Mulheres na Ciência”. As 137 histórias de carreiras bem-sucedidas em ciência foram contadas através de fotografias das investigadoras e citações biográficas na exposição e respetivo livro. Estes testemunhos na primeira pessoa demonstram como as mulheres contribuíram com o desenvolvimento das ciências em Portugal e procuram inspirar as gerações futuras de jovens mulheres a prosseguir a sua vocação. Este tributo às mulheres cientistas portuguesas, que constituem 45 % da comunidade de investigadores em Portugal, foi organizado pela Ciência Viva, agência portuguesa para a promoção do conhecimento público em ciência e tecnologia.